sábado, 6 de outubro de 2012

Coletânea: Rock Conexão Bahia (1989)


"Os amantes todos estão na chuva e as minhas mãos estão atadas / Na tv só fantasmas e eles se espalham pela sala..."

Houve num passado recente de Salvador um tempo de sonhos, coragem, determinação. Garotos com pose de homem, cigarros pendendo no canto da boca e roupas escuras num calor de quase 30 graus.

Um tempo de belas melodias, guitarras carregadas de chorus, letras que te davam vontade de continuar vivendo e músicos sublimes. Noites quentes e vodkas geladas pelas esquinas do Rio Vermelho e Barra.

Uma certa inocência, uma vontade enorme de fazer tudo da melhor forma apesar dos instrumentos made in Brazil. Big hands nas paredes e os grafites de Miguel Cordeiro. Fanzines em xerox circulando de mão em mão, rock baiano tocando nas rádios, influenciado por The Jam, Smiths, Big Country, Gang of Four, num tempo sem MTV.

Por volta de 1989 um cara chamado Filipe Cavalieri registrou de forma cuidadosa parte dessa movimentação numa coletânea em vinil chamada Rock Conexão Bahia, num estúdio no bairro da Liberdade. A primeira do gênero por aqui. Bandas como Quíron, Utopia, Elite Marginal, Treblinka, Cravo Negro, Moisés Ramsés e os Hebreus e 14o Andar. Os primeiros passos de gente como Luisão, Artur Ribeiro, Alexandre, André Lissonger, Ordep, Hélio Rocha, Álvaro Lemos, Moisés Santana.

Não meu amigo, o rock underground baiano não nasceu com a urgência da Úteros em Fúria, nem com o Dead Billies, nem mesmo com o ótimo Cascadura. Se a cena local andou por caminhos tortos essa é uma outra história. Em Rock Conexão Bahia, que teve inclusive distribuição nacional da Continental, o rock baiano teve, provavelmente, a sua primeira grande chance de acontecer com um número expressivo de bandas.

Aos que não sabem exatamente porque alguns (eu, incluso) torcem o nariz para a maior parte da produção local nos dias que correm - apesar dos ProTools da vida, da liberação dos importados e da facilidade de informação - dar uma escutada nessa coletânea pode ajudar um pouco a não se contentar com o caldo ralo que os poseurs tentam nos empurrar goela abaixo. 

Bandas: Quíron, Utopia, Elite Marginal, Treblinka, Cravo Negro, Moisés Ramsés e os Hebreus e 14o Andar

Origem: Salvador\Bahia

Gênero: Rock n Roll

Álbum: Rock Conexão Bahia (Coletânea)

Ano: 1989

Tracks:
01.Quiron - Marginal indefeso
02.Utopia - Nosso tempo
03.Moisés Ramsés - Ninfomaria
04.Treblinka - Queda de Sodoma
05.Cravo Negro - Cenas de uma tela
06.Elite Marginal - Vinhos e Flores
07.14 Andar - A Porta está aberta



Elite Marginal - Vinhos e Flores
Letra:

Hoje a noite todos estão na chuva e minhas mãos estão atadas
Na TV só fantasmas e eles se espalham pela sala
Como eu queria poder acreditar em tudo que as pessoas me dizem
Seria bem mais fácil me calar e deixar os amantes na chuva

São tantas flores no jardim, que a gente até se esquece de cuidar de nossas flores
São tantas flores no jardim, que a gente até se esquece de cuidar de nossas flores
Que precisam de carinho

Mas um ônibus avança pela rua e o sol não aparece na avenida
Quem não quer destilar sua amargura? Ser feliz ao menos por um dia
Quem não quer saber a verdade? Quem não quer um amor sincero?

O teu sorriso sem crueldade poder falar sem estar culpado

São tantas flores no jardim, que a gente até se esquece de cuidar de nossas flores
São tantas flores no jardim, que a gente até se esquece de cuidar de nossas flores
Que precisam de carinho



Um comentário:

reverendo t aka Tony Lopes disse...

salve galera
esse é só o lado A do lp.
faltou lado B com a segunda musica de cada uma das bandas.
ps a musica Ninfomaria é uma canção da banda Guerra fria e seus autores são: Jorge Afonso/Tony Lopes aka Reverendo T.
creia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...