quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Release: ¡Partir O Mar Em Banda! (Ayam Ubráis Barco) Por Shinna Rnr

Nenhum comentário:
Por Shinna Rnr (Vocal banda Pancreasfanfarrão, produtor,  organizador de shows de rock e colaborador do Bahia Rock Machine )

Nota: 9,0 / 10,0

Nota do Autor: Eu faço questão de não ler nada sobre a banda, nem como o disco foi feito. Escrevo baseado no que ouço na hora, então, dê um desconto se eu falar alguma bobagem em termos técnicos.
Somente escrevo sobre o que eu gosto, então, não espere que eu aponte erros ou dê chilique sobre as músicas. O intuito dos meus textos é apresentar a minha opinião sobre material autoral de bandas, nada mais do que isso. Se a sua opinião for diferente, me pague uma cerveja e vamos debater sobre os assuntos.
Antes de mais nada, (Partir O Mar Em Banda) é um disco de ROCK. E não me venham com essa onda tosca de classificar tudo que não tem “peso” de “INDIE”. É rock!!! Rock, entendeu???
O disco tem um tom de trilha sonora de filme. Tem sempre uns efeitos e textos antes e depois de cada música. Interessante, se analisarmos o contexto e a proposta do disco. Só senti falta dos solos de guitarra.

A 1ª faixa, “O silencio” já nos mostra como vai ser o disco. Música forte, sedutora que tem uma fantástica linha de bateria.  Arranjo sensacional. Letra poética. Enfim, abertura avassaladora de um belo disco.

A 2ª faixa é “A ponte” que traz ótimos arranjos vocais e mais uma vez uma puta linha de bateria que despertou o baixo trovoada que ficou sensacional. Tem uma “guitarrinha” “escondida” que ficou sensacional... Bela letra.

A 3ª faixa é “O risco”.  Eu particularmente não curto gaita. E nesta música tem gaita. Resultado, solo de gaita em vez de solo de guitarra! De qualquer forma, a letra se sobressai nesta faixa. Virei fã da bateria! Mais uma vez incrível. Uma música alegre, dançante pra se dançar sorrindo e pensando na vida. A guitarra continua a mesma das faixas anteriores.

A 4ª faixa é “O inseticida”. Lembra ou sabe o que é “samba de breque”? Aqui temos o “rock de breque”, que eu adoro!!! Uma faixa com várias mudanças. Isso me atrai muito! Intrigante! Bateria no talo mais uma vez! Solo de teclado... No lugar de um solo de guitarra... Como eu disse, segue a proposta do disco...

A 5ª faixa é “A bicicleta”. Parece uma prece! Sensacional! Letra sensacional. Finalmente um solo de guitarra! Slide,  vá lá, mas é solo!!! E ficou de fuder!!

A 6ª faixa é “O quintal”. Pra mim é um blues. E a mudança no timbre da guitarra melhorou bastante. A base no violão é primorosa. Uma bela melodia. Solo de guitarra!!! Ahhhh Solo de guitarra!!! Isso me deixa muitoooo felizzzz!!! Um belo poema declamado por uma bela voz feminina! Música incrível.

A 7ª faixa é “O maquiador”. Pense numa música de fuder!! É essa! Tudo perfeito! Voz, melodia, variações, vocais e a bateria, pra variar, sensacional. O baixo nos “breques” tá incrível.

A 8ª faixa é “O bote”. Música que tem “naipe de metais” é sempre um diferencial. E esta faixa é assim, diferenciada. Quando ela começa, você pensa que vai para um lado “pop irlandês” e aí quando entram os metais, ela vem pro sertão... Sensacional... Ah a bateria.... Sempre sensacional... Música visionária...

A 9ª faixa é “O voo”. Clima de suspense “noir” ou seria “no ar”? Boa balada com “breques” e boa linha de vocais. Refrão que gruda... hehehe... Sensacional.

A 10ª faixa é “O barco”.  Ouvir essa música me levou a me imaginar numa estrada com a cara pra fora do carro, tomando vento e curtindo o sol... Nem vou falar mais nada...

A 11ª faixa é “O rastilho”. Solo de guitarra!!!! Ah como é bom!!! Música simples, curta, que finaliza um excelente disco de rock. Então é isso. Corra pra comprar o disco!


Artista: Ayam Ubráis Barco

Origem: Ipiaú\Bahia

Gênero:  Rock n Roll, Blues, Música Regional, Poesia

Álbum: ¡Partir O Mar Em Banda!

Ano: 2014

Ficha Técnica:

Voz: Ayam Ubráis Barco
Vozes II: Juliana Peinhopf, Allan Eça, Marcel Hohlenwerger, Raoni Ribeiro
Guitarras: Marcel Hohlenwerger, Ismera Rock, Gabriel Barros
Baixo: Edmilson Dos Santos Sussa, CH Straatmann, Eduardo Cézar Dudú
Bateria: José Oliveira Netão
Teclado: Junior Eça
Craviola: Raoni Ribeiro
Ukulele: Gabriel Barros
Gaita: Alan Tremedal
Sopro: Clovis Reis, Samuel Touchê, Genésio Barbosa
Arte da Capa e ContraCapa: Ana Paula Gomes
Poema: Kaike Mateus Recitação: Julia Parada
Gravado, Misturado e Mestrerizado no Subsolo Estúdio: Rodrigo Hohlenwerger
Ligas: Isaías Neto, Ronald Souza, Ismera Rock, Junior Pinheiro, Joallan Rocha, Victor Aziz
Cifras: Derik Correia

Contato:
(71)9274-7545 / (73)8818-5451 / (73)3531-2485

Links:
Tracks:
1. O Silêncio
2. A Ponte
3. O Risco
4. O Inseticida
5. A Bicicleta
6. O Quintal
7. O Maquiador
8. O Bote
9. O Voo
10. O Barco
11. O Rastilho

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Duppy: Metal \ Raggadubstep (Salvador\Bahia)

Nenhum comentário:
Duppy

Release:
No final 2012 em Salvador-Ba, nasceu a Duppy. A proposta musical da banda é principalmente explorar a mistura do reggae/ragga ao metal, tendo como temática das letras, elementos naturais e culturas regionais. 
A banda vem alcançando um público fiel, são pessoas que se impressionam com o tal estilo experimental e novo ao olhar de quem é acostumado com o velho e bom rock 'n' roll!
A banda vem buscando shows pela Bahia e em outros estados do Brasil, para mostrar que na música não há limites e sim uma ciência de que se pode arriscar e construir a originalidade! 

Banda: Duppy

Origem: Salvador\Bahia

Gênero:  Metal, Reggae, Raggadubstep

Formação :
Marcelo Sant'anna - Voz/Guitarra
Filipe Barbosa - Guitarra
Diego Shewell - Baixo/Voz
Mário Lopes - Bateria
Gildiran "Camundongo Sonoro" - Percussão/Voz

Contato:
(71) 81425068 / (71) 88887922
bandaduppy@gmail.com

Links:

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Rodrigo Lamore: Hard Rock\Grunge (Guanambi\Bahia)

Um comentário:
Rodrigo Lamore

Release:
Rodrigo Lamore, oriundo do sertão baiano, Guanambi, lançou seu cd autoral, com um rock que mistura o grunge dos anos 90, hard rock com pitadas de música regional.
O cd estará disponível desde o mês de setembro mas, e pode ser ouvido no site PalcoMp3  ou  no Myspace.
Rodrigo Lamore começou sua carreira com 7 anos de idade, cantando musicas infantis em festas escolares, aniversários etc. Chegou a cantar musica regional com seu irmão, durante 10 anos, até assumir de vez sua veia roqueira.
Suas influências são: Pink Floyd, Guns n' Roses, Engenheiros do Havaií, Legião Urbana, Dream Theater, Zeca Baleiro, Raul Seixas.

Banda(Músico): Rodrigo Lamore

Origem: Guanambi\Bahia

Gênero:  Hard Rock\Grunge\Rock

Discografia:
Beauty And Bless (CD) 2014

Links:
Facebook (Perfil)
Facebook (FãPage)
Palco Mp3
Myspace

Contato:
(21) 8061-7331 | (21) 6711-4011


terça-feira, 7 de outubro de 2014

Biografia: Gabriel Amorim "Guitarrista e Produtor Cultural"

Nenhum comentário:
Gabriel Amorim_Foto:Márcia Pontes

Release:
Produtor Cultural e Executivo, graduando em Publicidade e Propaganda, entusiasta de Marketing Digital e Empreendedorismo e, nas horas vagas, Guitarrista, Vocalista e Compositor.

Com apenas 14 anos deu início aos trabalhos na área da comunicação, sendo repórter-colaborador e gerenciador de spots comerciais e de shows do Telefanzine, extinta revista eletrônica telefônica bem conceituada no Estado. Em 2001, fez locução em programas de rádio comunitárias e FM, como o “Rock na Veia”, na PS FM de Lauro de Freitas.

Atuou como Gestor Cultural, sendo Diretor Vice-Presidente e Diretor Financeiro, na Associação Cultural Clube do Rock da Bahia (ACCRBA) de 2001 a 2011, participando de todos os seus projetos neste período. Efetivamente, trabalhou em áreas como: Produção Executiva (planejamento, captação de recursos, negociação e contato com fornecedores, coordenação, organização,  realização e prestação de contas) ; Projetos (editais, elaboração e orçamento) ; Comunicação e Marketing (produção de conteúdo, releases, press kits, pautas, clippings, newsletters e mídias sociais) ; Design (peças diversas) ; Multimídia (produção e edição de vídeos, áudio e sites) e Apoio Administrativo.

Como Publicitário, criou em 2013 a MassaMídia, microempreendimento de Publicidade em Sacos de Pão, mídia não poluente e de alto impacto – http://massamidia.com.br.

Como Produtor Cultural e Executivo, realizou projetos contínuos como Festival Palco do Rock de 2001 a 2011, maior festival de rock independente do estado da Bahia e primeiro de rock no Carnaval do país, tendo como headliners bandas como Mingmen (Suiça), Phantom Rockers (USA), Underschool Element (Suiça), Plebe Rude (DF), Inocentes (SP), Velhas Virgens (SP), Dead Fish (ES), Mercenárias (SP), Claustrofobia (SP), Cólera (SP), Korzus (SP), e nomes locais como HeadHunter D.C., Álvaro Assmar, Malefactor, Bruno Nunes & Brian Knave (baterista do Jonh Lee Hooker), Ênio e a Maloca, Vivendo do Ócio, Vendo 147, e muitas outras ; Dia Municipal do Rock, de 2003 à 2010, o primeiro do país, de Lei 5404/98 no dia 28 de junho, que integra um show comemorativo e exposição (Expo Rock) ; Rock de Batom, de 2003 à 2008, festival que fomenta a cadeia produtiva da cultura rocker e alternativa dentro do universo feminino ; Vários shows de bandas independente e temático-sociais para entidades como o GAPA e CAASAH e com a participação da Associação Protetora dos Animais, Centro Cultural do bairro da Liberdade e Mergulho Cidadão.

Como parte integrante das atividades do Dia Municipal do Rock, realizou a Expo Rock de 2003 a 2010, exposição que retrata a história do Rock Baiano com ênfase Raul Seixas, em shoppings (Piedade e Center Lapa), faculdades (UNEB) e espaços de shows (Teatro da Praia e Parque Costa Azul), contando com o apoio de Thildo Gama (primeiro guitarrista de Raul Seixas, IN MEMORIAN) e workshows de instrumentistas, como o baixista Joel Moncorvo, o guitarrista Ricardo Primata e o baterista Jone Frank.

Atuou como Booking Manager da Mini Tour brasileira da banda Underschool Element (Suíça), em 2009. Como co-produção, trabalhou da Noite do Canjão do Festival Gueto Square, Palco do Festival de Verão de Salvador sob a tutela de Carlinhos Brown em 2006, a convite do mesmo.

Realizou Encontros e Seminários, a exemplo do "Por uma Fortificação da Cultura Rocker Baiana", em 2002 ; 1ª Audiência Pública sobre o Rock da Bahia, em 2004 ; "Pensando Palco do Rock", de 2006 a 2011 ; Encontro com Leo Miller, da banda Animosity (EUA) e Sylvio Passos (SP), presidente do Raul Rock Club (maior fã clube do artista), em 2008. Como co-produção, trabalhou no Lançamento do livro “Galeria F: Lembranças de Um Mar Cinzento, do doutor em comunicação Emiliano José em 2008 e do Debate “O Papel da Mídia nas Eleições”, tendo como convidado o jornalista Paulo Henrique Amorim em 2010, ambos com a presença de grandes personalidades do meio político, jurídico, da comunicação e artístico.

Foi Curador Musical do Festival Palco do Rock de 2001 a 2011 e de outros eventos na cidade, bem como convidado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia para o Edital de Apoio à Produção de Conteúdo em Música, em 2010.

Foi indicado a Prêmios Nacionais como Dynamite de Música Independente, como personalidade do ano (2003), melhor evento (Palco do Rock, 2003) e melhor associação de música (2008) e Prêmio Podcast (2008), com a Rádio/Podcast da ACCRBA.

Como Assessor de Imprensa, seus press-releases foram publicados em revistas como Roadie Crew, Dynamite, Rock Press, Rock Brigade, Veja ; Portais como Banco Cultural, Uol, Terra, Ig ; Jornais como A Tarde, Correio da Bahia, Tribuna da Bahia, Estado de São Paulo, Folha, O Globo, etc.

Participou de diversos Fóruns, Debates, Seminários e programas da esfera pública e privada, como exemplo da Iª Semana de Empreendedorismo e Inovação da UNIFACS (2014) ; Social Media Day (2013) ; Fórum de Marketing Digital Salvador (2012) ; Oficina “Economia Criativa e Empreendedorismo Sociocultural Sustentável" (2012) ; 1º Seminário Internacional de Formação e Capacitação em Cultura (2012) ; Seminário “A Economia da Música” (2010) ; Seminário “Rumos Itaú Cultural” (2009) ; Iª, IIª e IIIª Conferência Municipal e Estadual de Cultura (2005, 2007 e 2009) ; Fórum de Mercado, Música e Tecnologia (2008) ; Plano Nacional de Cultura (2008) ; Fórum de Música da Bahia (2008) ; Agenda 21 AR 10 Itapoã (2008) ; Encontro Internacional de Negócios Musicais (2007) ; Congresso do Carnaval (2006) ; Ciclo de Debates sobre o Carnaval (2005) ; Orçamento Participativo da Cidade de Salvador (2005) ; Plano Plurianual da Cidade (2005) ; Lei de Diretrizes Orçamentárias (2005) ; Seminário “A Economia da Cultura e a Cultura na Economia” (2004), entre outros.

Como Músico, já participou como vocalista e guitarrista de algumas bandas, como a Choque Térmico, Crinus, Overturn e Ulo Selvagem, importante banda baiana criada em 1987, que já excursionou alguns estados do país. Enquanto integrante, se apresentou ao lado de nomes como Claustrofobia (SP), Garotos Podres (SP), Plebe Rude (DF), J.J. Jackson, (EUA), Inocentes (SP), Korzus (SP), One Day (ARG), festivais como o Ferrock 2009 (DF) e recebeu prêmios como melhor banda do dia do Festival Palco do Rock 2007 e 2008.

Clique na imagem para ter acesso ao site


Músico e Produtor Cultural: Gabriel Amorim

Instrumento: Guitarra\Vocal

Origem: Salvador\Bahia

Gêneros: Metal/Hardcore/Hard/Modern Rock

Links:

Contatos:
gabriel.c.amorim@hotmail.com
(71) 8742 1733 | 9294 2945

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Release: Evento "Show de Rock" dia 04 de outubro no Irish Pub por Shinna

Nenhum comentário:

Banda Pancreas

Por: Shinna "
Banda Pancreas"
Agora já mais descansado, vou contar um pouquinho do que rolou.
Banda Dark Night
E as 22:30hs começa o show da Dark Night. Por ser uma banda nova, muita gente esperava uma enxurrada de covers! Ledo engano! Músicas autorais e de altíssima qualidade deram a tônica do show da banda.
Ainda tímidos e um pouco acanhados, afinal, era a primeira vez num grande evento. Só que os meninos fizeram um puta show! Com solos de guitarra muito bem elaborados, a banda fez uma brilhante apresentação!
Na sequência, a poderosa Circo de Marvin, que gentilmente topou fazer seu segundo show na noite, afinal, eles vieram de uma apresentação no Pelourinho! Nem parecia, porque o quarteto tratou logo de botar fogo na moçada e botou todo mundo pra pular, com seus sucessos! Outro show autoral magnifico! Difícil escolher o ponto de destaque individual. Os 4 fantásticos se solidificam quando estão juntos! Show incrível!
Então veio a Batrakia! E o Hard Rock tomou conta do espaço!
Circo de Marvin
Particularmente, foi o melhor show que vi dessa banda, principalmente porque o show deles foi 95% autoral, e suas músicas são incríveis!
Batrákia
De longe, Bruno Passy, a maior voz do rock baiano, numa performance incendiária, João Daltro e seus solos extraordinários, Chico Brito, Lucas Vieira e Dell Brito no controle das bases, tudo perfeito!
E veio a minha banda, a maior banda de rock n roll do mundo. A Pancreas Rnr. E porque eu insisto em dizer isso? Porque a gente insiste em amar o rock n roll, porque a gente insiste em insistir!
Começamos logo com Ela gosta de forró e aí o público já sentiu a porradaria! Num show curtinho, a Pancreas destilou seus hits e distribuiu, além do famoso bom humor, conhaque!
Outro show inesquecível.
Banda Portal: Heavy Metal
Cansados???? Jamais quando se sabe que a última banda da noite é a Portal! E eles vieram com tudo! Heavy Metal mais que perfeito! Merlim Thy Vamp, Um dos maiores frontmen do rock estava lá, no comando dos seus guerreiros! Banda incrivelmente potente e competente!
Show show show...
E foi assim o Show de Rock, numa Salvador castigada pelos fortes ventos, que na verdade, levaram a energia e o peso do rock pra dentro do Irish Pub.



Até a próxima!


CARTAZ OFICIAL DO BOQUEIRÃO ROCK METAL FESTIVAL

Nenhum comentário:

BOQUEIRÃO ROCK METAL FESTIVAL 

# HEADHUNTER DC - Maior nome do Death Metal nordestino!!
# KARNE KRUA - Lenda do Hard Core Punk Crossover
# BATRAKIA - Hard Rock Heavy Metal
# OVERDOSE ALCOÓLICA - Rock Alcoólico
# DISRUPT CHRIST - Black Metal
# QUINTO DOS INFERNOS - Rock/Metal
# VERMIS MORTEM - Old School Black Metal

ENTRADA JÁ DISPONÍVEL NA METALNET LAN HOUSE OU VIA DEPOSITO BANCÁRIO, POR R$ 25,00 ATE O FIM DESTE MÉS DE OUTUBRO.
INTERESSADOS É SO FAZER O DEPOSITO E MANDAR O COMPROVANTE POR E-MAIL ALEM DE GUARDA-LO PARA TROCA NO DIA PELA PULSEIRINHA

BANCO DO BRASIL
AG: 1774-4 - C/C: 155-4
ADAUTO DANTAS SANTOS

boqueiraormfest@gmail.com
(75) 9966-5520 - 9171-1757 - Adauto Dantas


Cartaz por: Adauto Dantas

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

The Dead Billies: Os quatro integrantes se reúnem e gravam disco de inéditas

Nenhum comentário:
fonte: Elcabong

Mosckabilly, Rex Crotus, Morotó Slim e Joe Tromundo, quarteto que fez história com o Dead Bilies, resolveram se reunir novamente, 13 anos anos depois, e gravar um disco novo. Pela primeira vez, desde as gravações de ‘Heartfelt Sessions’ em 1999, os quatro entraram em um estúdio para tocar juntos e registrar músicas inéditas, inclusive faixas do período em que ainda tinham a banda. Desde o início decidiram que o projeto, batizado como Los Mismos, não seria uma banda nova, não faria shows e não assinaria como Dead Billies, seria uma reunião de amigos que tocaram juntos durante muito tempo e queriam se reunir novamente.

As tentativas de fazer com que o Dead Billies voltassem pelo menos para shows foram muitas, inclusive de produtores de festivais de fora da Bahia. Nunca aconteceu, mas finalmente os quatro integrantes da banda resolveram se divertir juntos novamente e aproveitar a amizade que possuem há muitos anos para colocar um projeto em prática. “A ideia era reunir os amigos de novo e fazer algo que satisfizesse a gente. Cada um estava passando por problemas pessoais delicados e a gente sempre teve essa preocupação de um com o outro. Pensamos em reunir a turma, que não fosse o Dead Bilies, mas que juntasse os quatro. Meio que um bálsamo para todos ao mesmo tempo. Algo que fosse de proveito para todos nós juntos. Dai surgiu a ideia do projeto. Nada megalomaníaco, é uma reunião de amigos”, explica Rex, um dos responsáveis pelo reencontro.

Inicialmente pensado como um EP, o trabalho acabou virando um álbum cheio, que já teve as gravações finalizadas e deve chegar aos ouvidos do público em breve pelo selo Garimpo. São 14 faixas, incluindo quatro ou cinco da época do Dead Bilies, criadas logo após o lançamento de ‘Heartfelt Sessions’. Outras são composições antigas guardadas por Glauber Guimarães, Mosckabilly, ou pelos outros integrantes do grupo, além de músicas novas surgidas durante o processo de gravação.

Além das tradicionais composições em inglês na pegada da antiga banda, com psychobillies com referências de filmes B, o disco traz canções em português e uma em espanhol. A sonoridade segue o caminho que a banda ganharia se prosseguisse em 2001, com sons mais garageiros, que já apareciam na última gravação da banda. Mas tem também as misturas de influências que sempre marcaram o Billies, que já fez a antológica valsa VAMPIRE e agora ataca com um bolero, que deve soar daquele jeito próprio deles.

Dead_Billies_(Joe)Os quatro amigos, que fizeram parte de uma das melhores e mais importantes bandas do rock baiano e do Brasil (por que não?), e se cercaram de amigos para esse novo trabalho. A produção é de andré t, que já assinava as produções dos discos da Retrofoguetes e foi um dos maiores entusiastas e estimuladores do projeto, segundo o próprio Rex. “Quando a banda terminou já tínhamos iniciado uma pré-produção com andré, existia uma frustração que em 2001 a gente começou e não terminou. Iniciamos de onde a gente parou. Aproveitamos cerca de 4 ou 5 músicas dessa época, Glauber tinha outras composições e outras surgiram durante o processo. No estúdio fluiu bem, rolou como a gente esperava. Tinha uma química, uma energia, por mais que isso seja clichê”, conta o baterista Rex.

Para o produtor andré t, essa química entre os quatro músicos realmente existe e é algo especial que eles conseguiram manter até hoje e eixaram presente no novo projeto. “Achei fantástico uma das minhas bandas favoritas de todos os tempos se reencontrar. Parecia que nunca tinham deixado de tocar juntos. Acho que realmente eles têm algo especial, que se vê muito raramente. Só acho uma pena que eles não deverão se reunir para tocar esse material no palco, porque sei que pegaria fogo…”, lamenta andré.

Além da produção do disco, os amigos ajudaram também a registrar o encontro e as gravações em vídeo. Alexandre Xanxa, Mauricio Caires e Mauro Pithon filmaram todas as sessões, captando todos os momentos, numa espécie de making off disco. A ideia é lançar esse material junto com o álbum.

Se para os amigos, os fãs e os curiosos este novo projeto é aguardado com ansiedade e como forma de abrandar a ausência do Dead Billies, para seus integrantes o disco serviu para exorcizar os problemas e uma pendência de anos, ou pelo menos deveria ser assim. “É um trabalho bonito, musicalmente ficou muito bom, mas talvez as intenções não tenham sido alcançadas, já que foi feito pra gente ficar feliz, sem intenção de grana ou qualquer outra coisa. Era pra trazer um bem estar, uma alegria, mas isso não foi alcançado da forma que a gente queira, ou não alcançou todos. Ele é muito de verdade, e a vida de verdade tem conflitos, não é um sonho, uma coisa perfeita que é 100% perfeita e bacana, têm tensões atrás desse projeto”, diz Rex.

Sem entrar em detalhes dos bastidores, o baterista fala que apesar da amizade houve dificuldades que permanecem. Para o público fica a expectativa de mais uma contribuição para o rock feito na Bahia. “A gente sabia q estava mexendo com uma bomba relógio e rezando para não explodir. Explodiu, fazer o que?”, diz Rex.

Retrofoguetes e Retrofolia
Se o Los Mismos se encerra com o disco, os outros projetos de Glauber, Rex, Morotó e Joe continuam. Glauber com suas diversas facetas artísticas e projetos como Teclas Pretas, glauberovsky orchestra, entre outros. Rex, Morotó e Joe, que começaram o Retrofoguetes logo após o fim do Dead Billies, seguem com a banda. O grupo, que está se adaptando às últimas mudanças, segue na ativa, com músicas inéditas e avaliando quando gravam um novo trabalho. Os shows continuam. Outro projeto que une Rex e Morotó, o Retrofolia, ganha mais autonomia e se desvincula do Retrofoguetes, sendo agora um projeto próprio. Com isso além dos dois e Julio Moreno, foram efetivados definitivamente Kaverna nos vocais, Fábio Rocha no baixo e Paulo Chamusca completando o trio de guitarras baianas.


Release: KETER - Guerra Contra Tudo e Contra Todos (2014) por Val Oliveira

Nenhum comentário:

KETER - "Guerra Contra Tudo e Contra Todos" (Caçadores das Trevas Rec/2014) Por: Val Oliveira (Reidjou)

Apos 10 anos batalhando no undergroud baiano, a banda KETER finalmente lança o seu debut, o cd intitulado "Guerra Contra Tudo e Contra Todos", que já se encontrava gravado há algum tempo, mas faltava ainda o apoio de alguns selos e produtoras para viabilizar o lançamento do material. 

O lançamento, que conta com 10 faixas e foi proveniente da parceria entre os selos Retch Records, Headcrusher Produções, Caçadores das Trevas Records, Music in Veins e Odicelaf Zine, tem produção da própria banda, juntamente com o já experiente Sidinei "Grim" Falcão (Blessed in Fire) no finado estúdio MD. O som da Keter transita entre o Thrash e o Death Metal, com uma mais nítida influência do Metal extremo. 

A intro, "Requiem" é climática, começando com um dedilhado, seguido das guitarras, que se encerram num belo dueto. "Bellum Omnia Omres" já mostra o que se espera da KETER: peso, brutalidade e técnica. "Peste, Fome e Guerra" já mostra outra característica da banda, a mescla de faixas cantadas em sua maioria no idioma português ao lado de outras em inglês. O som segue brutal, sujo mas com todos os instrumentos perfeitamente audíveis. 
"Decomposição" é uma velha conhecida dos shows, e uma das mais marcantes, com um refrão que gruda rapidamente, pronta para ser cantada e acompanhada nos shows! "I Don't Believe", é um dos destaques do cd, e também tem um ótimo refrão, onde temos o baixo se destacando. Nesse momento podemos destacar o trampo foderoso dos guitarristas George e Yuri, com riffs mortais durante todo o cd, alem de citar o trabalho do ex-batera Renato. 
Temos então a faixa "Vermes", brutal e insana! O cd segue com "Insanidade", cujo clipe fazia parte da promo de 2010, "I Don't Believe" , com a faixa do mesmo nome, juntamente com "Decomposição", também estão presentes neste debut, e é outro destaque do material com seus riffs insanos e sua levada mortal!
 "Desejo de Vingança" é outra faixa que se impõe pela brutalidade aliada a riffs que grudam na cabeça. "Prazer Sádico" é a musica de maior duração, tendo momentos velozes e brutais e outros cadenciados, ótimos para o headbanging, e ela antecede a ultima faixa, por sinal em inglês, "Only Death Is Real", com um começo cadenciado, mas que logo descamba para a porradaria!
Apenas a parte gráfica poderia ser um pouco melhor, e o cd, por sua curta duração, deixa um gostinho de "quero mais"!
Adquira o seu, pois a espera valeu a pena!

KETER:
Bawdy - Vocal
George Lessa - Guitarra
Yury Duplat - Guitarra
Fagner - Baixo
Marcio - Bateria

Tracks:
01 - Requiem
02 - Bellum Omnia Omres
03 - Peste, Fome e Guerra
04 - Decomposição
05 - I Don't Believe
06 - Vermes
07 - Insanidade
08 - Desejo de Vingança
09 - Prazer Sádico
10 - Only Death Is Real


Contatos:
bandaketer@gmail.com.br
https://www.facebook.com/keterband
https://www.facebook.com/Bandaketer

Behavior: novo álbum será distribuído pela Mutilation Records

Nenhum comentário:
fonte: MsMetalPress

O segundo álbum da banda baiana BEHAVIOR, intitulado “Morbid Obsession” , será distribuído no Brasil através da Mutilation Records, garantindo o abastecimento das lojas especializadas em música extrema com o produto.

O material também será distribuído pela Voice Music, que tem como objetivo abastecer as principais lojas especializadas e MegaStores do país.

O álbum continua em processo de produção, e a previsão de lançamento é para o primeiro semestre de 2015 no Brasil.

Para mais informações sobre as atividades da banda BEHAVIOR e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com.

Camisa de Vênus - Mais vivo do que nunca (2014)

Nenhum comentário:

Banda: Camisa de Vênus

Gênero: Rock n Roll\Punk Rock\New Wave\Pós Punk

Origem: Salvador\Ba

Álbum: Mais vivo do que nunca!

Ano:2014

Formação Atual:
Eduardo Scott: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Ivan Oliveira: baixo.
Cloud: bateria.

Tracks:
01 - Sem Nada
02 - Metástase
03 - O Adventista
04 - Hoje
05 - Crime Perfeito
06 - Gotham City
07 - Eu não matei Jona D'arc
08 - Beth Morreu
09 - País do Futuro
10 - Mão Católica
11 - Correndo sem parar
12 - Sinca Chambord
13 - Só o fim
14 - Negue
15 - Pronto pro suicídio
16 - My Way

Links:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...