quarta-feira, 17 de outubro de 2012

O que falta no Metal Baiano ?


O que deixa muita gente  indignada o que se vê e ouve-se sempre, são pessoas dizendo: "O que falta no metal baiano é a união pra fortalecer a cena que anda meio decadente.."
Bem; Mas como fortalecer? O que fazer se esse separatismo radical continua vivenciando tudo..? É Punk de um lado, Thrash\Death de outro, Heavy\Rock de outro..
O que se presencia ultimamente (que é mais frequente em redes sociais) por parte de muitos são críticas pesadas vulgares e desnecessária ! Tem muita gente aí se achando o p* das galáxias.....

Se o cara é Thrash\Death ou deixa de ser, não precisa criticar quem faz outro tipo de som "dentro das 4 linhas"...
Que critique... Agora uma crítica argumentada uma critica construtiva !
Se não gosta porra? Não ouça ! Ignore.. Não precisa usar termos tipo como se vê frequentemente:  "Morte a "*tal estilo*".. *"Foda-se "*tal banda*"...Pra que isso ?
Várias tendências dentro do Metal não agrada a muita gente... Mas, o que fazer? É natural que isso aconteça, mas procure  no mínimo que seja, manter uma linha...!

Existem pessoas que vivenciam o metal desde o final dos anos 70 começo dos 80, estão na ativa até hoje; São fiéis aos seus estilos aos seus propósitos, são tranquilos (na deles) sem menosprezar ninguém !! Sabe-se  que algumas variações dentro do metal com certeza não os agrada, mas não se vê essas pessoas se pronunciarem todos os dias, todas as horas (que seja em rádios, entrevistas em sites ou redes sociais) que 'A' é bom ou 'B' é ruim!!!

Isso é que é POSTURA!!! Ter postura não é fazer cara de mau pra foto.. Ter postura é manter-se fiel a sua ideologia, ter postura é saber respeitar é saber aceitar o caminho de cada um.. Porquê muitas vezes ignorar é melhor que muito bla, bla, bla !! Parei....

Algumas Frases:


"Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las."_Voltaire

"Death Metal, Black Metal, Speed Metal, Thrash Metal. Tire a primeira palavra de todas elas e deixe uma só: Metal! — Chuck Schuldiner


"O pessoal que curte heavy metal não tem a cabeça mais aberta desse mundo."_Bruce Dickinson


 "Só tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar."_Abraham Lincoln


O espaço está totalmente aberto para comentários !!

15 comentários:

Adewale Andrade disse...

Acredito que críticas construtivas são a melhor saída para esse problema.
Vivencio bastante discussões sobre estilos musicais e preferências dentro do rock'n'roll. As conversas são sempre baseadas em criticas e reclamações.... "Ah... aquela banda é uma merda....", "Vixi... q nada.. o som e feião...", etc.

O que mais me espanta é que muitas das pessoas que fazem as críticas, são músicos tb. Algumas vezes de bandas menos experientes, outras de bandas com "um pouco mais de tempo".

Agora, eu faço uma pergunta: Não seria melhor e mais fácil, fazer contato com essas bandas que são alvo das críticas e dar sugestões para elas melhorarem nos aspectos citados?
Pensando um pouquinho, se só os músicos, por exemplo, fizessem isso, todas as bandas melhorariam bastante em vários aspectos, além de que isso aumentaria a popularidade e os contatos de todos....
Seria como se tivessemos uma acessoria comunitária!

N seria bem melhor do que se chatear, criticar, e ofender?

Dell Brito disse...

Na sociedade onde todos somos iguais, meros consumidores, a busca desesperada por uma identidade nos faz criar diferenças, daí vem a intolerância e o preconceito.

O paradoxo é que queremos ser diferentes, separatistas... mas contemplar um grupo, se identificar com um certo coletivo.

Falta de educação e cultura é perigoso nesse tipo de sociedade. Daí surgem esses conflitos.

Um sujeito que não conhece nada, não lê nada, não tem princípios bem definidos... ele se agarra a qualquer besteira e faz disso uma razão de viver, é o caso tratado no texto.

Não precisa ser muito esclarecido, ter uma sensibilidade musical grande, pra entender que tudo é rock n roll. Indo pro círculo do Metal? Piorou...

Faço um desafio: me apresentem um argumento lógico que explique o motivo de se adorar thrash metal e odiar death, heavy, power... existe?

Eu, particularmente, já acho absurdo um cara ser fã de qualquer seguimento do rock e odiar os outros, quanto mais dentro do limitado meio do metal.

Resumindo... Acredito que tais pessoas não são de fato apreciadoras do rock n' roll, mas usam o rótulo de um gênero que mais convém com sua personalidade como pretexto para canalizar suas frustrações, angústias, ego, vaidade, etc.

Marcos disse...

DISSE TUDO VELHO DELL PARABÉNS !!

Lucas Novaes disse...

Em parte você tem razão Dell, no que diz respeito à canalização de frustrações e etc por parte de certas pessoas, bem como nos problemas em ser diferente porém fazer parte de uma mesma consciência coletiva. Porém você está desconsiderando o fator "gosto pessoal" em se tratando das vertentes do Rock 'n' Roll e nos subgêneros do Heavy Metal, que determinados gêneros podem não te agradar por questões meramente musicais ou pelos contextos implícitos neles.

Vou me usar como exemplo, curto a linha mais tradicional do Metal, composta basicamente pelo Heavy, Thrash, Death e Black - sendo este último o que eu menos tenho afinidade dos quatro, mas ainda assim gosto de algumas bandas. Mas não gosto de determinadas bandas de Metal Melódico por simplesmente achar o som chato. Então, não sou de fato um apreciador do Rock 'n' Roll por não gostar de - um exemplo - Sonata Arctica? Sou forçado a consumir tudo que existe dentro do meio "Metal" apenas por ser Metal? E a identidade de cada um fica aonde? E como se não bastasse a parte sonora, eu pude notar que muitas vezes - óbviamente há excessões, não vou generalizar - o público fã dessa vertente em questão é chato, se acham os intelectuais da música e são os primeiros a criticar as bandas clássicas. Já ouvi nego falando mal do Iron Maiden por exemplo, usando o argumento "os solos são só em pentatônica". Isso lá é argumento? Quando foi que o Maiden precisou usar de virtuosidade para fazer um bom som? E assim, cria-se mais um motivo para mim - que não sei se vai ser lógico o suficiente para passar em seu desafio - para não gostar desse subgênero. Mas novamente vou perguntar, sou menos "real" em termos de curtir som por isso?

Talvez você tenha sido um pouco genérico demais nessa sua colocação.

Caio Caos Noise disse...

a intenção é das melhores, mas não vale a pena discutir isso. O rock surgiu como uma afronta ao sistema, ao moralismo, conservadorismo, é algo contra cultural na sua essencia, e infelizmente hoje em dia, aqui onde moro, um dos estilos que mais curto está cheio de fascistas, machistas,conservadores, elitistas, como vc flw pessoas que se acham acima de tudo e de todos simplismente por ouvirem um estilo musical, não tão nem ai se tu quer respeito, quer boas criticas, semeam violencia e intolerancia, e tudo é aplaudido ou deixam pra reclamar só depois mas n tomam nenhuma atitude de repudio as raizes dos problemas. aqui em salvador é impossivel misturar esses estilos, salvo a exceção se bem escolhidas as bandas, e o local onde sera realizado o evento, já toquei num evento com bandas de rockn roll , death metal e hc mas o evento era 3 reais, com pessoas humildes (sem elitismo) e num lugar q nunca tinha tido show antes, algo feito com amor, mas no geral n da ou é muito dificil unir tais publicos em salvador. e isso é ótimo considerando que aqui tem pessoas que sentem ódio e desejo de estragar eventos. mas é bom falar que em todos os seguimentos do rock n roll ao hardcore punk e metal, tem pessoas com a mente aberta e focada no bem do movimento, com consiencia, e que não entram em grupinhos de garotos rebeldes, ou em alguns muitos casos pessoas com uma certa idade mas que não evoluiram nda mentalmente. E tbm destaco esse problema n é na bahia e sim em salvador! Conheço pessoas de várias cidades e me surpreendo como são super humildes

Anônimo disse...

A Nação Rocker, pois para mim tudo é Rock com suas derivações, é apenas a representação do reflexo da nossa sociedade, infelizmente, sempre se fala em "União do Movimento" más acaba virando manipulação de interesses "Partidários". A Panelinha sempre existiu e sempre irá existir, todos querem puxar a sardinha para seu lado. Corrupção é a prostituição da Alma, aproveitadores e críticos temos de muitão, como melhorar a situação eis a questão? Atitude Rocker é muito mais do que esculhambar e menosprezar o "trabalho" de "colega" Músico de determinado estilo que não se gosta, atitude rocker é ser cidadão consciente que sabe o que quer com atitude, respeito e humildade. Acredito que todas as bandas querem viver e sobreviver daquilo que sabem e gostam de fazer, más só aqueles que realmente sabem o que quer poderão chegar aonde quiser, independente de decadência, crise ou depressão. Claro que falta investimentos no recurso humano, sem egos inflados e estrelismos, quem será o primeiro em fazer a diferença sem ganhar nada em troca? Marcks, SSA-BA, apareciador de: Punkrocker, rockbilli, rockandroll,progressivo, metal, trash,hardcore, speed, death classicos, instrumental, blues, underground, sem preconceito e que seja de qualidade.

Rauz disse...

Oi, meu nome é Radamés, sou Guitarrista Vocalista da Teorema de Mary, banda que toca... Rock n Roll, o lance que vejo, não é nem somente “metal” tudo é Rock, lembremos do movimento GRUNGE, como surgiu? Punks e Metaleiros de Seattle, cansados da mesmice e do separatismo se uniram, numa nova vertente, dai nasceu o grunge, você tinha numa noite Alice in Chains (vertente metal) e Nirvana em seguida (pós-punk) e em seguida Pear Jean (Alternativo), tudo ficou chamado de GRUNGE, e dali para frente, ninguém mais via esses tipos de coisas, é lógico que intolerância e ignorância são praticadas como desespero para quem tem medo de perder a identidade, isso é fato! Eu faço eventos na cidade de Baixa Grande a 14 anos, e vejo a que ponto chegamos, no interior, na capital o ROCK MORREU, não é anarquia dizer isso, o Rock está enterrado, todos passam cabisbaixos, com seu fone de ouvido num pseudo-mundo, não vão em shows de bandas locais, não têm coragem de pagar 5 meros reais num show de banda da terra, e tantos milhares de roqueiros desertaram. Enfim, não sou renovador, e tenho minhas convicções mas, creio que a solução é mesclar tudo, punk, metal, grunge, new metal, hard core, indie rock, alternativo, psicodélico, progressivo, gótico e seja lá mais o que for, shows deveriam acontecer sem secções, alguns se fundamentam no radicalismo para ditar regras de pessoas que não vivem nossa realidade, de extremistas que estão em outro pais, isolados em suas aldeias protegidas de mármores e ouro, nós Brasileiros, povo misto de três raças, povo tolerante a diferentes religiões e ideologias temos que fazer o que o Brasileiro sabe fazer de melhor, Gentileza e União.

Dell Brito disse...

Lucas, concordo com o seu texto e vou deixar mais claro o que quis dizer.

Não somos obrigados a consumir nada para provar nada, isso é entrar em contradição com tudo que escrevi... estava me referindo a DEIXAR de consumir algo por uma bandeira, por que disseram que é assim, para ser aceito/bem visto no grupo em que anda, etc.

Só posso falar no contexto Metal pois é o "cenário" que frequento/frequentava. Conheci pessoas que só toleravam certo gênero, não ouviam e inclusive tinham ódio de outros.

Também acho enjoado o som do SONATA e de muitas bandas de metal melódico, não gosto de punk nem de HC, não tenho paciência pra ouvir Black, Thrash, Doom, etc. Mas quando escuto algo que me sensibiliza, seja por um detalhe musical ou mesmo um bom show de uma banda de algum desses gêneros, reconheço e fico feliz em ter me sensibilizado com algo que a priori eu tinha certa repulsa. Conheço boas músicas de metal extremo, melódico, HC, Punk... mas não sou apreciador dos estilos.

De fato fatores externos pesam bastante quando tentamos ter certa afinidade com bandas de outros gêneros... público, comportamento dos músicos, ideologias, etc. Mas não é por isso que vamos fechar nossas mentes e ouvidos, não é verdade?

Lucas Novaes disse...

@Caio Caos Noise

Engraçado, você disse algo que eu tinha pensado no momento que vi o título da matéria. O problema não é o Metal na Bahia. Tive o prazer no início desse ano de viajar com Valmar Oliveira e o resto do pessoal da Rattle para Santa Inês, onde eles realizaram um show com diversas outras bandas - Blackout X e Suffocation of Soul eram algumas delas - e pude ver que o povo do interior curtiu todo o evento em meio a sons que mesclaram do Heavy tradicional ao Thrash e Death, sem nenhum tipo de confusão. A galera da Heretic Execution - banda de meus amigos - toca aí sempre no interior, mais até que na capital e também não tem do que falar em termos de público. A galera separa mais é por aqui mesmo. Infelizmente, isso é um problema da capital...

@Dell Brito

Bom, eu escrevi o que escrevi porque ficou parecendo - pelo menos na minha interpretação de texto - que você estava dizendo que pelo fato de se gostar de uma determinada vertente do Rock, as demais deveriam ser gostadas também, mais ainda em se tratando de Metal que é algo mais "escasso", digamos assim. A linha em questão que causou essa polêmica mental em mim foi essa:

"Eu, particularmente, já acho absurdo um cara ser fã de qualquer seguimento do rock e odiar os outros, quanto mais dentro do limitado meio do metal."

Já no que se diz respeito a fechar a mente, acho que isso não é o correto a se fazer. Tá, as vezes determinados estilos, bandas e etc podem ser um tanto quanto intragáveis ao gosto pessoal. Mas ainda assim, pode-se descobrir algo lá, perdido, que acabe sendo do agrado da pessoa. Mas isso acaba variando de cada um... alguns serão mas ecléticos e mente aberta, outros serão mais acomodados em meio aquilo que já gostava antes. O problema está em atropelar os demais com as próprias preferências.

Mauricio cold disse...

Depende de cada um ter esse esse senso acho que a questao é simplesmente RESPEITO e na é só no Metal .

Anônimo disse...

Ouço de tudo um pouco e respeito a opnião e estilos dos outros. Além do mais não me interessa o que escuta ou deixa de escutar, o que gosta ou deixa de gostar, vamos curtir a vida porra, discutir sobre assuntos mais importantes e revolucionários, falar sobre coisas que realmente gosta. Curto Metal e independente disto gosto de outros estilos musicais e quero que com isso não me julguem por ser o que eu sou, respeitem assim como respeito a opnião de cada um, nunca dirigir uma palavra se quer de em relação a falta de respeito e preconceito sobre outros estilos de vida.

alexamarenata disse...

Olá,gostaria de pedir pra vocês pra divulgar o link https://www.facebook.com/photo.php?fbid=327069457403250&set=a.230235190420011.44922.100003005945238&type=1&theater

somos uma banda de power metal baiana,e precisamos de baterista fixo
somos uma das poucas (senão a única) banda de power metal daqui,então,por favor,tentem nos ajudar a divulgar esse estilo,lembrando que o baterista tem que ser de salvador

Anônimo disse...

O q falta em Salvador sao espacos pra shows undergrounds.....a cena simplesmente nao existe mais!So existe um lugar para shows e o mesmo nao agrada a todos,nao so por localizacao mas tambem pelo espaco em si....Salvador esta recomecando a abrir as portas pra shows de bandas internacionais e ja vejo gente reclamando q pagamos pau para as bandas de fora,mas nao prestigiamos as bandas "da casa"...ora ora a grande maioria nao tem acesso a esse shows fora da cidade por questos financeiras...e se realmente mantivessemos diversidade de espacos para shows undergrounds com certeza iriamos continuar tendo varieddae de shows na cidade

Thiago Montreal disse...

As Vezes n tem aver com musica, Isso vem de casa, EDUCAÇÃO e RESPEITO que alguns n tem.

Thiago Montreal disse...

As Vezes n tem aver com musica, Isso vem de casa, EDUCAÇÃO e RESPEITO que alguns n tem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...